quarta-feira, 30 de junho de 2010

Nada como um dia após o outro.

,
- Eu não posso ir Pedro Marcos! E pronto. - Dentro de alguns instantes o telefone de Pedro estava estraçalhado no chão. Ele acabara de levar um fora de Paula, a mulher mais linda da repartição, xingou alguns palavrões por algum tempo, mas logo se recuperou, pegou o telefone fixo e procurou alguns nomes em sua lista telefônica...
  Enquanto isso, Luana estava se arrumando para sair com André, quando vê seu celular tocar, ela foi atender sem pressa e desinteressada. Luana bufou, mas logo sua reação mudou e foi atender animadamente a ligação de Pedro Marcos. Respirou fundo...
- Oi chefe! Tudo bom?
- E ai Lú. Tudo bem, e você como esta?
- Estou bem. Eu deixei alguns relatórios a fazer, mas amanhã eu...
- Não, não, não Luana, eu só liguei pra ver se você estava fazendo alguma coisa...
- Estou me arrumando...
- Você vai sair?
- É... é ... acho... Porque?
- Não gostaria de sair comigo?
- Claro! Quando?
- Pode ser hoje?
- Sim! ... - Luana marcou tudo com Pedro Marcos, e assim foi feito.


- Lugar legal né Pedro? - ela disse olhando para o restaurante que estavam.
- É. - Pedro não se mostrava nada interessado em nada que ela falasse ali, só concordava e pronto.
- Desculpa chefe, mas porque me trouxe até aqui?
- Sei lá, estava afim de ficar com alguém.
- Ah... - Não adiantava, ele podia a ignorar (como sempre fazia) mas Luana não sairia dali sem um beijo dele. Os dois jantaram e Luana resolveu extravasar, já estava farta de falar com uma ''porta''.
- Vem comigo. - Luana ordenou e pegou no braço dele. Ela o puxou até a saída de fundo do restaurante, que dava para o parque da cidade (que ela tanto ia).
- O que é que você esta fazendo garota?
- Você vai ver. - Ela o levou até a palmeira que se assentava todas as manhãs para escrever de seu amor platônico pelo seu chefe (coroa) bonitão.
- Que lugar legal Luana! - fora a primeira vez que Luana o vira animado com algo naquela noite, mas ela estava chateada demais com a falta de compreensão dele para se derreter com aquele sorriso bobo.
- É, legal né? É neste lugar que eu venho todas as manhãs para escrever sobre o meu ADORÁVEL amor platônico POR VOCÊ! Eu nem sei porque eu guardo tanto os meus sentimentos, mas agora é a hora de soltar tudo! Eu tenho sido uma funcionária excelente, sempre me desdobro em mil pra fazer o trabalho que VOCÊ deveria estar fazendo, e pior, ganhando uma mixaria. E tudo isso porque? PORQUE EU TE AMO. Porque eu não quero ver o seu chefe te demitir, porque você tem uma carreira toda pela frente e porque eu queria olhar para o seu rosto feliz todos os dias. Porém agora eu não pretendo lhe ver por um bom tempo. - Pedro Marcos a olhava pasmo, sem reação alguma.
- Porque Luana?
- Porque você sabia o tempo inteiro que eu era louca por você, e sempre saiu com aquela ordinária da Paula, que você diz ser sua segunda secretaria, pra mim aquela mulher, ou melhor aquele objeto só é um disque sexo pra você. Eu vou te mostrar uma coisa... - Ela pegou o seu diário de dentro da sua bolsa e abriu no dia em que conheceu Pedro.
- Leia. - ele leu algumas partes e percebeu que tinha perdido uma mulher e tanto por não saber olhar para o interior das pessoas.
- Luana me desculpa, tudo isso é muito lindo, eu não tenho nem o que falar. - ela pegou o diário da mão dele e arremessou-o no lago.
- Não tem o que falar? Eu tenho. - Luana só agora alterou o tom de voz. - Você é um canalha! Eu não sei o que foi que vi em ti, porque eu tenho certeza de que quando se olha no espelho só vê rastros de uma pessoa suja e vazia. - e então gritou para que qualquer ALMA a ouvisse.
- EU ME DEMITO! Tchau Pedro Marcos.


Quando Luana estava estacionando seu carro, viu em sua sacada André e então se lembrou de que tinha marcado de sair com ele naquela mesma noite. Ela colocou metade do corpo pra fora do carro e o chamou com um gesto. Ele foi até ela.
- Adeus Luana. - e saiu. Luana desamparada bateu a porta do carro e em prantos entrou em casa.
  Três semanas se passaram e Luana tinha de ir ao escritório pegar suas coisas e acertar suas contas com seu (maldito) chefe. Ela finalmente viu o a claridade do sol, passou na frente do parque e viu o lugar que ela se sentava todas as manhãs, então acelerou o carro. Ao chegar no escritório, Lia sua melhor amiga veio recebe-la.
- Meu Deus Luana, por onde você andou esse tempo todo? - Luana apenas a abraçou e chorou em seu ombro. Pedro Marcos estava atrás dela fazendo um gesto negativo com a cabeça e olhando para baixo.
- Ele esta atrás de ti. - Lia sussurrou no ouvido de Luana, a mesma enxugou as lágrimas e pegou uma caixa de papelão que estava na mesa da amiga. - Eu vou juntar as minhas coisas. Será que pode entrar lá comigo? - Lia confusa concordou. As duas juntaram os objetos que estava sobre a mesa da ex-funcionária de Pedro e foram em direção a sala dele.
- Luana, me desculpa pelo que aconteceu...
- Senhor eu não sei do que esta falando, por favor me dê esses papéis para que eu os assine e suma daqui o mais rápido possível. - Luana assinou os papéis e marcou com a amiga um jantar em sua casa. Ao sair da empresa ela foi a um café. Quando estava tomando seu café, começou a escrever na nota fiscal da compra que acabara de efetuar, quando o garçon lhe entregou um caderninho.
- O que é isso?
- Aquele rapaz que pediu pra te entregar. - ele apontou para André que estava sentado em outra mesa.
- André - ela sussurrou, enquanto olhava uma folha no caderno escrito: Comece tudo de novo, mas por favor me coloque dentro da sua vida ,ou melhor das páginas da tua vida.
ps.:André.

  Luana sorriu e foi correndo abraça-lo.





1 comentários:

  • 2 de julho de 2010 17:38

    parte 3 aqui, tinha boiado õ/ , enfiim Julia , maravilhosamente liiiindo o conto, esta parte me lembra alguns livros :)

    bejs :*

Postar um comentário

 

Adube sua vida. Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger Templates